A comunidade está de cara nova!
Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

BRF reforça com produtores o uso racional de água nas propriedades

BRF reforça com produtores o uso racional de água nas propriedades
Equipe BHB
fev. 14 - 4 min de leitura
0 Curtidas
0 Comentários
0

A BRF está reforçando com produtores integrados da Região Sul a necessidade de manterem uma gestão ainda mais racional da água durante a estiagem. A iniciativa está em sintonia com a jornada sustentável da Companhia, que tem entre suas metas a redução em 13% do indicador de consumo de água até 2025.

A BRF acredita que uma forma eficiente de combater o desperdício é por meio da utilização adequada de recursos. As ações neste sentido abrangem não apenas os produtores, mas também as unidades fabris, parceiros e fornecedores.

Em muitos casos, o reforço em alguns controles, pequenas mudanças de processos e a troca de peças simples do sistema de água da propriedade podem trazer redução considerável no uso de água potável e reutilizável, garantindo o adequado fornecimento com qualidade e preservando o bem-estar animal. Insumo fundamental na produção agrícola, a água, que irriga lavouras e mantém saudáveis os animais alojados, precisa sempre ser bem gerenciada pelos produtores.

Em projeto piloto realizado pela BRF em uma granja de suínos, em meados do ano passado, registrou-se redução significativa no consumo, com orientações que podem ajudar os integrados a obter os mesmos resultados em suas propriedades.

“O uso racional do insumo e a otimização no consumo de água é sempre uma preocupação da BRF. Apoiamos os produtores constantemente nesta ação, por meio de nossos técnicos e extensionistas, e com educação para o tema, divulgando boas práticas e fornecendo todo o apoio necessário”, reforça Guilherme Brandt, diretor de Agropecuária da BRF.

Na granja de suínos, onde o projeto foi testado, se observou redução inclusive no consumo de água potável proveniente de fontes subterrâneas. Foi criado um sistema para monitorar constantemente o consumo de água na granja e detectar alterações sem razão aparente, mas que podem indicar pontos de atenção. Além disso, a proteção das APPS (Áreas de Preservação Permanente), além de obrigatória por lei, cumpre papel fundamental na preservação das águas subterrâneas.

“A água é essencial para garantir a vida e a sustentabilidade do negócio. Olhamos atentamente para essa frente, promovendo iniciativas como a preservação de nascentes e de áreas permanentes, prevenção de vazamentos que geram desperdícios, bem como a preservação do solo e de lençóis freáticos”, reforça Paulo Rossato, consultor da diretoria de Agropecuária da BRF.

Controle de equipamentos

Para criadores de aves e suínos é fundamental o monitoramento do consumo e dos níveis de água nos poços artesianos que abastecem as propriedades. O controle auxilia na verificação da disponibilidade do recurso e no atendimento às exigências dos órgãos ambientais, comparando consumo proposto e realizado conforme tabelas técnicas.

Outro importante fator é a checagem rotineira em busca de vazamentos ao longo da rede de abastecimento (como em bebedouros, conexões, engates rápidos, mangueiras, torneiras, tubulações e bombas). O produtor deve estabelecer um cronograma para manutenções corretivas e preventivas, criar documentos de controle de consumo de água considerando os sistemas de criação de animais que tem na área, assim como a irrigação.

Igualmente recomendada é a realização de flushing (troca de água nos aviários) de forma intermitente, e não contínua. Os produtores devem cumprir todos os parâmetros de ambiência para reduzir o estresse térmico que gera excesso de consumo de água pelos animais – por exemplo, vedando as instalações adequadamente para maior eficiência da ventilação. Na gestão da água, deve-se observar a correta instalação dos equipamentos hidráulicos, considerando a caixa d’água, proteção da rede em relação à incidência solar e dimensionamento adequado para a rede de distribuição.

Captação de água da chuva

A BRF recomenda ainda que os telhados das granjas sejam usados como pontos de captação de água da chuva, sendo necessário instalar calhas e condutores de água para armazenamento. Os primeiros volumes (de 2 a 4 litros/m² de área utilizada na coleta) devem ser descartados, pois contêm partículas de sujeira do telhado.

A água deve ser coletada, armazenada e, antes do uso, enviada para análise em laboratório e receber tratamento adequado. Quando for utilizada para descarga de vasos sanitários, lavagem de instalações e equipamentos e para irrigação precisa passar por um tratamento mínimo que garanta sua reutilização.

Fonte: BRF


Denunciar publicação
0 Curtidas
0 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você