[ editar artigo]

O uso do Sal Light como substituto do sal de cozinha

O uso do Sal Light como substituto do sal de cozinha

 

As recomendações mundiais referentes ao consumo de sódio são amplamente conhecidas e da mesma forma ignoradas, uma vez que, em média o consumo está sempre muito acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde que é de 5g/dia, com médias que giram em torno de 6,5g/dia até 10,9g/dia (1,2).

Dados recentes associaram mais de 3,2 milhões de mortes em todo o mundo em 2017. (2). No Brasil por exemplo, consumimos quase o dobro do ideal (9,34g)  e esta tendência não parece estar caindo (3).

Uma das alternativas possíveis para a substituição e consequente redução de consumo do sódio, é o uso do sal light, cuja composição garante redução de 50% do cloreto sódio adicionado aos alimentos, e incrementa o cloreto de potássio na formulação.

Algumas evidências científicas sobre o uso do sal modificado, mostram redução da pressão arterial sistólica e diastólica importante com resultados de redução observados tanto entre hipertensos como não hipertensos (4,5).

Entretanto, o potássio utilizado neste produto, como mineral complementar aos 50% reduzidos de sódio, traz ao produto um sabor peculiar, de resíduo metálico que muitas vezes atua como fator limitante aos consumidores.  Ainda temos que considerar os efeitos da ingestão aumentada de potássio em indivíduos com condições que prejudicam a excreção de potássio, como doença renal crônica podendo levar ao estado de hipercalemia desencadeando arritmias e até mesmo morte cardíaca súbita (6.)

Porém as evidências não são suficientes sobre os efeitos dos substitutos do sal enriquecidos com potássio na ocorrência de hipercalemia em indivíduos saudáveis (6).

 Há uma necessidade de pesquisa adicional sobre o impacto em toda a população da substituição de cloreto de sódio pelos substitutos do sal enriquecidos por potássio.

Portanto, antes de utilizar qualquer substituto de sal disponível no mercado, confira com seu médico se o seu estado de saúde geral o coloca fora dos grupos susceptíveis a qualquer dos efeitos colaterais possíveis ligados a baixa excreção de potássio.

O uso seguro sempre é a melhor recomendação.

 

Referências:

  1. National Academies of Sciences, Engineering, and Medicine. 2019. Dietary Reference Intakes for Sodium and Potassium. Washington, DC: The National Academies Press. https://doi.org/10.17226/25353.
  2. Thout, SR, Santos, JA, McKenzie, B, et al. The Science of Salt: Updating the evidence on global estimates of salt intake. J Clin Hypertens. 2019; 21: 710– 721. https://doi.org/10.1111/jch.13546
  3. Mill, José Geraldo, Malta, Deborah Carvalho, Machado, Ísis Eloah, Pate, Arthur, Pereira, Cimar Azeredo, Jaime, Patrícia Constante, Szwarcwald, Célia Landman, & Rosenfeld, Luiz Gastão. (2019). Estimativa do consumo de sal pela população brasileira: resultado da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia, 22(Suppl. 2), E190009.SUPL.2. Epub October 07, 2019.https://doi.org/10.1590/1980-549720190009.supl.
  4. Newberry SJ, Chung M, Anderson C, et al. Effects of Dietary Sodium and Potassium Intake on Chronic Disease Outcomes and Related Risk Factors. Systematic Review No. 206. (Prepared by the Southern California Evidence-based Practice Center under Contract No. 290-2015-00010- I.) AHRQ Publication No. 18-EHC009-EF. Rockville, MD: Agency for Healthcare Research and Quality; 2018
  5. Zhao X, Yin X, Li X, Yan LL, Lam CT, Li S, He F, Xie W, Sang B, Luobu G, et al. Using a low-sodium, high-potassium salt substitute to reduce blood pressure among Tibetans with high blood pressure: a patientblinded randomized controlled trial. PLoS One. 2014;9:e110131. doi: 10.1371/journal.pone.0110131
  6. Greer, R. C., Marklund, M., Anderson, C. A. M., Cobb, L. K., Dalcin, A. T., Henry, M., & Appel, L. J. (2019). Potassium-Enriched Salt Substitutes as a Means to Lower Blood Pressure. Hypertension. doi:10.1161/hypertensionaha.119.13241

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você