[ editar artigo]

Xilitol, saúde bucal e doença cardiovascular.

Xilitol, saúde bucal e doença cardiovascular.

 

O açúcar acarreta diversos efeitos deletérios à saúde começando pela boca onde é a principal causa de cárie dental e doenças da gengiva, passando pelas doenças metabólicas como diabetes mellitus, hipertrigliceridemia e indiretamente, doença aterosclerótica e câncer.

A OMS recomenda ingestão máxima de 10% ou 50g por dia e abaixo de 5% ou 25g por dia para benefício adicional. Nossa população Brasileira consume, segundo o Ministério da Saúde, a média anual de 30 Kg, ou seja, cerca de 80 g ou 18 colheres de açúcar por dia (1).

A inter-relação do açúcar com a odontologia e prevenção de doenças crônicas  vai além da cárie e doenças da gengiva, uma vez que  bactérias que povoam a região bucal fermentando os açúcares podem se disseminar pela corrente sanguínea envolvendo-se com a fisiopatologia de diferentes alterações de caráter inflamatório-infeccioso como endocardite e  podendo, até mesmo, elevar o risco para eventos cardíacos e cerebrovasculares uma vez que há evidências que esta disseminação pode intensificar a atividade  inflamatória nas lesões ateroscleróticas (2).

Neste contexto, os substitutos do açúcar podem auxiliar na redução da incidência de cárie dentária, porém poucos substitutos foram considerados como tendo propriedade antimicrobiana contra microorganismos produtores de cárie na cavidade oral. Podemos citar entre os substitutos que previnem as cáries, o aspartame, a sucralose, a palatinose, o sorbitol e em especial o xilitol.

 O Xilitol é um conhecido edulcorante de baixa caloria  que auxilia na redução de peso. Por não ser um açúcar redutor, não sofre reações de escurecimento não enzimático (Reação de Maillard)., que provocam diminuição do valor nutricional das proteínas e visual dos produtos onde é adicionado

Seu uso é seguro e em geral bem tolerado, entretando assim como o sorbitol pode trazer sintomas digestivos como distensão e diarréia quando consumido em doses maiores que 20g (3).

O Xilitol sido amplamente pesquisado e demonstra trazer benefícios à saúde bucal reduzindo a prevalência de cárie dentária.

E não fica só por aí, sua fermentação pela microbiota do cólon eleva a produção de butirato, ácido graxo de cadeia curta correlacionado com melhora no estresse oxidativo e redução de peroxidação lipídica, favorecendo a preservação da função endotelial e prevenção de aterosclerose (4).

Apesar de caro esse produto pode ser um aliado na substituição do açúcar com mais segurança tanto relacionada a saúde bucal quanto aos impactos metabólicos.

Referências:

  1. https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44777-brasil-assume-meta-para-reduzir-144-mil-toneladas-de-acucar-ate-2022#:~:text=Os%20brasileiros%20consomem%2050%25%20a,o%20recomendado%20seria%20at%C3%A9%2012
  2. Hegde, AM, Kavita R., Sushma  KS, Suchetha Shetty. Salivary Sialic Acid Levels and Dental Health In Children with Congenital Heart Disease, J Clin Pediatr Dent 36(3): 293–296, 2012
  3. Krista S., Markus J. L., Kirsti T. and Arthur C. OuwehandXylitol’s Health Benefits beyond Dental Health: A Comprehensive ReviewNutrients 2019, 11, 1813; doi:10.3390/nu11081813
  4. Bettina K. W., Meyer-Gerspach A.C., Beglinger C. & Md. Islam S. Metabolic effects of the natural sweeteners xylitol and erythritol: A comprehensive review, Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 60:12, 1986-1998, DOI: 10.1080/10408398.2019.1623757

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você