[ editar artigo]

A saudabilidade no mercado de bebidas

A saudabilidade no mercado de bebidas


O Brasil tem avançado com a tendência de saudabilidade no mercado de bebidas.   Os sucos tornaram-se 100%, os refrigerantes vem dando espaço para as águas gaseificadas e saborizadas. E os chás assim como as bebidas fermentadas têm conquistado o consumidor brasileiro. 

 

O clean label e a naturalidade tem sido sido sinônimos de saúde e  fatores decisivos na compra de bebidas por um público crescente de consumidores lifestyle, que já chegam perto de ⅓ dos brasileiros.  

 

O mercado de Kombucha, por exemplo, quase inexistente há 5 anos, hoje está com uma projeção mundial de movimentação de 5 bilhões de dólares até 2025, segundo pesquisa da Global Market Insights. 

 

Dados Brasileiros

 

Segundo dados da ABIR (Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerante e Bebidas não Alcoólicas), o volume de bebidas não alcoólicas produzido no Brasil, em 2018, foi de 31.032.116 milhões de litros, com um consumo per capita de 148,8 litros. Embora esse índice tenha sofrido um decréscimo de 4,3% em relação ao ano anterior, está em recuperação.

 

Quando analisamos quais categorias tiveram aumento em sua produção no ano de 2018, os chás prontos para consumo (+4,6%), energéticos (+13,6%) e os sucos prontos (+5,7%) foram os que mais se destacaram. 

 

Por outro lado, o consumo de refrigerantes, sucos concentrados e refrescos em pó teve um decréscimo de respectivamente 4,2%, 6,1% e 8%.

 

Podemos perceber, então, que as categorias que agregam algum benefício funcional, como os energéticos e chás prontos, estão em destaque, demonstrando o interesse do consumidor pela tendência de saúde em bebidas. bebidas. 

 

Quais são as categorias que reforçam a tendência de saúde  no mercado de bebidas

 

  1. Água: água mineral engarrafada, gaseificada, saborizada , embora simples, tem crescido

 

A categoria das águas saborizadas antes vista como semelhante a dos refrigerantes de baixa caloria, Mas, recentemente, passou a ser vista como uma bebida distinta dos refrigerantes convencionais, com benefícios para a saúde. Vamos conferir alguns exemplos?

 

Pura Fibra: a marca oferece garrafas de água saborizada com 6 gramas de fibras prebióticas, o que equivale a 24% das necessidades diárias de fibras. Ela possui baixo valor energético e é adicionada de vitaminas do complexo B, além da adição de aromas naturais. Atualmente, está disponível em quatro sabores: Limão, Morango, Pêssego e Tangerina

 




 

2. Chás: além de hidratar, esta bebida possui propriedades fitoterápicas que auxiliam o corpo humano em diversas funcionalidades: relaxar, estimular, facilitar a digestão e até mesmo no emagrecimento. 

 

O brasileiro, na realidade, sempre foi mais amigo do cafezinho, mas, segundo pesquisa da Europass Monitor, o consumo per capita de chás cresceu 53% entre 2010 e 2019. Isso pode ser explicado pela educação em saúde que empresas como a Desinchá ea Tea Shop, entre outros players do mercado, fazem com os consumidores, tornando o produto parte de seu estilo de vida.

 

Além do aumento das vendas de chás prontos para beber, existem os chás para infusão, como é o caso do Desinchá, com blend de ervas e uma proposta ligada à naturalidade. Atualmente tem ganhado muita força o Kombuchá, um tipo de chá fermentado com atividade probiótica  e efeitos positivos na saúde digestiva. 

 

Confira alguns cases de chás que reforçam a tendência de saúde nas bebidas. 

 

  • Companhia dos fermentados: O Kombucha desta empresa é feito a partir da fermentação da infusão de chá com a ação da comunidade simbiótica de bactérias e leveduras. Posteriormente, é adicionado extrato fresco de frutas. A marca possui quatro sabores: mate com limão, chá verde com maracujá, chimarrão com erva-doce, e hibisco, gengibre e pimenta rosa.

 


 

  • Bebidas funcionais: A tendência no setor das bebidas aponta para aquelas  com ingredientes funcionais. Inicialmente, este tipo de bebida era direcionado apenas a um nicho da população, entretanto, nos dias de hoje, os consumidores já aceitam pagar mais por uma bebida que traga benefícios à saúde. 

 

De acordo com levantamento da consultoria Business Research Company, o desempenho do setor sentiu os impactos causados pela pandemia,  que causaram a interrupção de toda a cadeia de abastecimento do mercado. Mas este segmento deve voltar a crescer e chegar a US$ 158,28 bilhões em 2023.

 

Qual bebida funcional selecionamos para exemplificar esta tendência de saúde?

 

  • Frunáticos: A marca comercializa sucos 100% naturais, sem água, sem açúcar e conservante. Cada garrafa possui aproximadamente 400 gramas de frutas, verduras e legumes, e cada suco oferece um benefício à saúde do consumidor.

 

 

Refrigerantes: um caso perdido?

 

Com a conscientização dos consumidores sobre sua saúde, além da geração mais jovem que já busca por saúde, existem alguns movimentos da indústria com o intuito de transformar produtos convencionais em inovadores.

 

O processo de “juicificação” de refrigerantes é um exemplo de como atender às novas preferências dos consumidores, e, ao mesmo tempo, atrair esse público mais jovem. 

 

Cases de "novos refrigerantes": com a tendência de saúde no setor de bebidas

  • Wewi:  foi o primeiro refrigerante 100% natural certificado com o selo Produto Orgânico Brasil. O produto não possui aditivos e conservantes sintéticos, além de ser zero sódio. 

Atualmente está disponível em três opções: suco de laranja orgânico, extrato de guaraná orgânico, e extrato natural de noz de cola.

 

E não pense que somente as startups estão se movimentando no sentido desta tendênci de saúde no mercado de bebidas. Recentemente a Ambev ampliou seu portfólio de produtos da linha Guaraná Antarctica com o lançamento de "Natu". O refrigerante não tem adição de açúcar ou conservantes e é produzido somente com ingredientes de origem natural.

Mas a inovação não se restringe aos refrigerantes, e os energéticos também se movimentam para a tendencia de saude

  • Organique: A marca é a primeira a comercializar um energético com selo Produto Orgânico Brasil. Ele é natural, adoçado com Stevia, sem sódio, corantes ou aditivos. Atualmente existe em três sabores: açaí, guaraná e erva-mate.





 

O que a ciência diz sobre os sucos?

 

Atualmente os nutricionistas, pediatras e cientistas  tem comunicado que o consumo da fruta in natura é mais vantajoso do que fazer o processamento delas em um suco, pois o suco remove a maior parte das fibras das frutas.

 

E outro argumentos destes influenciadores em saúde é o fato de ser  necessário mais do que uma fruta para fazer um suco, aumentando os níveis de frutose no organismo. A falta de fibras e o aumento do açúcar das frutas podem levar a uma  absorção mais acelerada, ocasionando um pico de insulina. 

 

Entretanto, mesmo que a opção mais saudável seja comer as frutas in natura, o suco de frutas natural ainda é, segundo a opinão de muitos nutricionistas, uma opção prática para garantir o consumo de frutas e seus nutrientes e antioxidantes.  

 

Embalagem: detalhe que faz a diferença

 

Não adianta a tendência de saúde  no mercado de bebidas estar apenas no conteúdo do produto. Os consumidores de hoje se preocupam também com a saúde do planeta. Portanto, a escolha da embalagem faz toda a diferença no sucesso do seu produto. 

 

Mas são muitos os fatores que interferem na hora dessa definição. Uma embalagem deve executar sua função: garantir a segurança e características sensoriais do alimento, além de ter viabilidade financeira. E, no mundo de hoje, soma-se ainda a necessidade de que ela seja sustentável. 

 

As principais embalagens presentes no mercado de bebidas são as cartonadas, as PETs, as de vidro e metal. Será que elas se adequam ao estilo sustentável e ainda são viáveis financeiramente?

 

  • Embalagens cartonadas: são elaboradas a partir da combinação de dois ou mais materiais, com a função de promover melhor propriedade de barreira e maior praticidade. 

 

Esta embalagem tem um bom custo-benefício, pois o transporte, manuseio e armazenamento são facilitados. Entretanto, sua reciclagem é dificultada devido às multicamadas de materiais distintos. 

 

 

  • Garrafas PET: possuem excelente barreira a gases e odores, baixo peso, são maleáveis, além de serem recicláveis, e, portanto, são altamente utilizadas na indústria pelo seu ótimo custo-benefício.

 

 

  • Embalagem de vidro: este material garante a segurança quanto à contaminação, apresenta impermeabilidade a gases e vapores, é versátil e reciclável. No entanto, também é pesada e frágil, acarretando maior custo no transporte e, consequentemente, encarecendo o produto final. 

 

 

  • Metal: as latas de metal têm ótimas características de proteção física e de barreira,  são muito aceitas pelos consumidores devido à sua versatilidade, além de serem recicláveis. Entretanto, algumas acabam amassadas durante o transporte e comercialização, e podem sofrer corrosão.

 


 

Cada embalagem tem seus prós e contras. Existem algumas alternativas de embalagens mais sustentáveis? Sim! Mas não podemos deixar de considerar as alternativas já existentes. 

 

Portanto, cada detalhe conta para a tendência de saúde  no mercado de bebidas. Quais seriam suas apostas? Naturalidade, clean label, sustentabilidade e tecnologia, embalagens inteligentes? Encontrar soluções para o mercado de bebidas é desafiador, mas é necessário se o objetivo é vender um produto de valor.

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você