[ editar artigo]

Mapeamento para ter um produto 100% orgânico

Mapeamento para ter um produto 100% orgânico

Um produto orgânico é aquele obtido por meio de um sistema orgânico de produção. Seja ela agropecuária ou extrativista, ambas precisam ser sustentáveis, com a preocupação de não prejudicar o meio ambiente, não comprometer os recursos naturais e respeitar as características socioeconômicas da comunidade local. 

Na prática, quando um produto é certificado como orgânico, é levado em conta, em primeiro lugar, se sua origem, produção e comercialização foi realizada sem o uso de substâncias químicas, além do não comprometimento de sustentabilidade ambiental e da responsabilidade social com os envolvidos neste processo, desde o início da produção até sua chegada aos consumidores. Para isso, existe uma série de regras que falaremos a seguir, mas antes, veja o cenário do mercado.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2019 havia 19.295 produtores orgânicos registrados no Brasil, totalizando um crescimento de 200% no registro de produtores de 2012 a 2019.

 O consumo de produtos orgânicos também vem crescendo no Brasil. Segundo o panorama do consumo de orgânicos no Brasil em 2019, construído pela Organis, dentre todas as regiões do país, 36% das pessoas consomem produtos orgânicos mais de cinco vezes por semana e 33% consomem uma vez por semana. Esses valores demonstram um cenário positivo e de expansão, porém ainda há desafios a serem superados, pois é um mercado em construção e a cada dia mais ativo. 

Para lançar um produto orgânico embalado e processado, a fase de planejamento é crucial para a transição eficiente da teoria para a prática. A compreensão da legislação de forma correta também é fundamental, e faz-se necessária a regularização por meio da Avaliação da Conformidade Orgânica.

O OAC é uma instituição que faz a Avaliação da Conformidade Orgânica. Ele verifica e atesta que os produtos, produtores ou estabelecimentos comerciais atendem ao regulamento da produção orgânica, podendo ter sua obtenção de duas formas: 

 

- POR MEIO DE UMA CERTIFICADORA:  

É realizada uma certificação por auditoria, através de uma organização pública ou privada, devidamente credenciada pelo MAPA e pelo Inmetro. Essa certificadora possui o papel de verificar e assegurar, por meio de procedimentos, que um determinado produto segue as normas da legislação de orgânicos. 

 

- POR MEIO DO OPAC - Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade 

O Art. 29 do Decreto Nº 6.323/07 instituiu o Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica – SisOrg, que tem como integrantes órgãos e entidades da administração pública federal (também os estaduais e distrital, se conveniados) e os organismos de avaliação da conformidade orgânica (OAC) credenciados pelo MAPA. O OPAC realiza a certificação participativa, ou seja, é uma organização que possui a responsabilidade formal pelo conjunto de atividades desenvolvidas em um Sistema Participativo de Garantia (SPG), constituído por uma Comissão de Avaliação e um Conselho de Recursos. 

Além das obrigatoriedades de conformidade com as legislações citadas acima, existem outros desafios presentes neste setor, os principais e mais atuais são: 

As regras de Comercialização: 

Entre alguns desafios relacionados a sua comercialização, é preciso dar atenção às questões de rotulagem, como a necessidade do selo federal do SisOrg. 

Selo do Sistema Brasileiro de avaliação da Conformidade Orgânica ...Como vimos, o SisOrg, é o Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica, administrado pelo MAPA, com o objetivo de identificar e controlar a produção nacional de alimentos orgânicos quanto à sua origem e processo produtivo. A certificação se faz necessária principalmente por ser uma garantia para o consumidor de que o produto é realmente orgânico. 

Para os produtos que não são pré-embalados, como verduras, legumes e frutas, é necessário conter um certificado orgânico do produto, e até mesmo uma Declaração de Transação Comercial (IN MAPA e Ministério do Meio Ambiente 17/2009), que tanto o produtor como a certificadora podem emitir. Além desses critérios, é preciso dar exclusividade ao produto no espaço em que será comercializado, não sendo possível que fique misturado com produtos não orgânicos.

A Logística do processo: 

Existem regras específicas para o transporte de produtos orgânicos. Por serem normalmente mais frágeis, eles necessitam de mais atenção em seu deslocamento e em sua conservação e de maior cuidado também pela possível “contaminação cruzada” com produtos não orgânicos. A principal regra, e que torna muitas vezes o produto mais caro, se refere à separação do transporte: não é permitido produtos orgânicos e convencionais juntos na mesma carga. Também entram em questão formas autorizadas para a higienização dos transportes.

As Sementes Orgânicas: 

É preciso ter cuidado na produção de orgânicos, pois existe uma lei, a de nº 10.711/2003, referente ao sistema nacional de sementes e mudas, que não permite a comercialização de sementes orgânicas no mercado, limitando os produtores a ficarem somente com a sua própria produção para conseguir as sementes. 

Preços:

Por conta de todas as exigências do processo, os custos aumentam significativamente, gerando na ponta preços que são uma dificuldade do ponto de vista do consumidor.

Segundo o relatório da Organis, 65% da população define o preço como a maior barreira para a compra dos produtos orgânicos. 

Já os produtores citam que as dificuldades para oferecer um preço mais competitivo giram em torno do aumento da oferta. 

A diferença entre o preço de um produto orgânico e de um convencional pode chegar a 73,2%, segundo o Sebrae. 

Veja na tabela abaixo as principais diferenças entre sistemas orgânicos e convencionais

 

Tendências para o seu negócio

Os Superalimentos, conhecidos também como Superfoods, são produtos naturais com uma variedade de nutrientes muito importantes para manter a saúde e a qualidade de vida, porém sua nomenclatura não é científica. Com riquezas nutritivas, estes produtos são uma tendência que tem se fortalecido nos últimos tempos no mercado de orgânicos. Entre alguns exemplos, estão a maçã peruana, a quinoa, o caju, o coco e o cacau cru. 

Quer saber mais sobre como impulsionar seu negócio na área de produtos orgânicos? Acompanhe estas 5 dicas que irão alavancar sua produção e suas vendas.

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você