[ editar artigo]

O cenário das Startups de Food no Brasil

O cenário das Startups de Food no Brasil

 

Para explicar o cenário das startups de Food no Brasil, a 10ª edição do BHB Food contou com Guilherme Massa, Co-fundador da Liga Ventures, empresa aceleradora de negócios.

 

Food Tech: Definição

Guilherme inicia sua apresentação definindo que as startups de Food, ou Food Tech, são empresas que buscam inovar e otimizar a cadeia produtiva de alimentos, seja por meio de aplicativos de celulares, ou até mesmo a criação de produtos inovadores. Atualmente, segundo mapeamento da Liga Ventures, existem mais de 300 startups em food no Brasil.

 

 

Guilherme, então, trouxe alguns insights sobre como está o cenário das startups de Food no Brasil, relatando o que mudou nos hábitos e comportamentos do consumidor e tendências de novos alimentos.

 

 

O que mudou nos hábitos e comportamentos do consumidor?

Guilherme diz que a saúde e bem-estar são prioridades para as novas gerações, refletindo em seus hábitos e comportamentos em todos âmbitos de vida. 

Junto a isso, o maior acesso à informação, principalmente por criadores de conteúdo em mídias sociais, impacta diretamente o fator de escolha das pessoas. 

Além destes, Guilherme comenta que as restrições alimentares e conveniência dos consumidores precisam ser considerados pelas indústria. Por exemplo, a procura por conveniência pelos consumidores está fazendo com que comidas congeladas prontas cresçam em um CAGR de 5%, segundo pesquisa da Liga Ventures.

Para ilustrar, Guilherme trouxe alguns cases inovadores de startups que se adequaram ao novo perfil de consumo do consumidor:

 

  • BeGreen: primeira startup que desenvolveu o conceito de fazendas urbanas, usando espaços nos centros urbanos para o plantio de hortaliças orgânicas.

 

  • Luccofit: produz marmitas saudáveis, com cardápio variado, entregando de maneira conveniente em casa ou no trabalho. 

 

Novos alimentos

 

A respeito dos novos alimentos, Guilherme destaca três tendências. A primeira delas é que “o mercado está mudando a uma velocidade que a indústria tradicional tem dificuldade de se adequar”, devido a sua grande proporção.

 

Além disso, foi destacado que o uso de Inteligência Artificial facilita a criação de alimentos desejados pelo novo consumidor, e as tendências como plant based, proteínas alternativas e outras fontes alimentares começam a ganhar aplicações em escala.

 

Por fim, o palestrante mostra cases de startups que produzem novos alimentos:

 

  • NoMoo: Food Tech brasileira que produz queijos e iogurtes a partir da castanha de caju, aplicando tecnologia à produção de alimentos.

 

  • Tal da Castanha: spin-off da Amêndoas do Brasil, e produz leites saborizados naturais e veganos, a partir da castanha de caju e amêndoas. Também oferece ao mercado shakes proteicos, snacks naturais e pastas alimentares.

 

Para assistir o replay do que rolou no 10° BHB na íntegra, clique nesse link. Corre que só vai até 18 de novembro.



 

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você