[ editar artigo]

O futuro dos sorvetes, a maior categoria de SNACKS no Brasil

O futuro dos sorvetes, a maior categoria de SNACKS no Brasil

Se existe uma sobremesa que derrete o coração das pessoas, certamente estamos falando de sorvete. Com seu sabor doce e textura cremosa, essa sobremesa gelada já conquistou o paladar dos brasileiros, e não é à toa que é uma das maiores categorias de snacks do Brasil!  

 

O MERCADO

 

O sorvete tem uma representatividade importante no mercado brasileiro e possui até uma Associação que representa esse segmento: a ABIS (Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvete), que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento constante das empresas do setor.

 

O consumo de sorvetes em 2019 foi o maior em quatro anos! Segundo a ABIS, os brasileiros tomaram 1.107 milhões de litros de sorvete, sendo a região Sudeste a maior consumidora (52%), seguida pela região Nordeste (19%) e Sul (15%).

 

Eduardo Weisberg, presidente da ABIS, em entrevista para Fispal Food Digital, afirmou que o mercado de sorveterias tem tido uma taxa positiva, com aumento de vendas de 0,5 a 3%. São números interessantes, especialmente levando-se em conta que o país está enfrentando uma retração econômica. 

 

Para completar o cuidado com esse segmento no país, existe também a Fispal Sorvetes, uma Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Sorveteria Profissional, que acontece em São Paulo. Esse evento é uma importante oportunidade para a movimentação e negócios do mercado de sorvetes da América Latina. Ele reúne milhares de pessoas interessadas em novidades para a indústria, apresentando inovações em equipamentos, embalagens, refrigeração, armazenagem, logística e outras áreas relacionadas ao setor sorveteiro. 

 

AFINAL, O QUE VENDE MAIS?

 

Pesquisas da Nielsen apontam que a concentração do faturamento desse ramo está nas embalagens domésticas, aqueles sorvetes que consumimos em casa. E, segundo o presidente da ABIS, o tipo mais vendido é o sorvete de massa, seguindo do picolé e do soft (aquele de máquina, forte no setor de Fast Food).

 

Além disso, os consumidores estão mais exigentes com a qualidade do produto, reflexo de uma tendência que aponta um processo de premiunização dessa categoria, crescendo, assim, a participação de marcas com maior valor agregado  na geladeira do consumidor.

 

INDULGÊNCIA E NATURALIDADE

 

Mintel, empresa de pesquisa de mercado, informa que três de cada quatro consumidores estão procurando por indulgência em seus sorvetes, porém 53% das pessoas tomariam mais sorvete se tivessem opções com baixa caloria e baixa adição de açúcares.

 

Sabemos que nos dias atuais a exigência por produtos mais saudáveis ganha cada vez mais espaço nas prateleiras dos supermercados... Quando vemos a naturalidade ganhar força, como fabricar sorvetes sem perder o foco no prazer?

 

Um grande exemplo é a marca Halo Top, que foi campeã de vendas nos Estados Unidos. A empresa produz sorvetes com menos calorias, menos açúcares e mais proteínas do que os sorvetes convencionais, possuindo 280 a 380 calorias por litro de produto. Mesmo com a redução de calorias e açúcares, a marca não deixa de lado a indulgência, possuindo diversos sabores desejáveis, como cheesecake de chocolate, donut, cookies & cream, caramelo, entre outros. 

 

COMO SE DIFERENCIAR?

 

Trazendo para a realidade, sabemos que o mercado de sorvetes, como diversos outros segmentos, é dominado por grandes marcas, assim, se faz necessário apresentar uma diferenciação para se obter uma vantagem competitiva diante das outras empresas. Vamos exemplificar algumas marcas que possuem um diferencial de mercado.

 

Ben & jerry’s: A empresa tem valores muito claros e definidos, em sua página na web é possível acessar os ideais em que a marca acredita. Sua missão econômica é a busca por um crescimento financeiro sustentável. A Missão social é usar a empresa de modo inovador para tornar o mundo um lugar melhor. E, para finalizar, ela pontua as causas que a companhia apoia, são elas: comércio justo, igualdade no casamento, justiça climática e promoção da paz. Demonstrando, assim, um reflexo do compromisso da empresa com a sociedade. Eles ganham tanto amor de seus consumidores, que fizeram um cobranding com a NIKE para que os fãs usem Ben & Jerry’s nos pés.

 

Gelato Diletto: a marca bem-estimada opta por um segmento gourmet. Ela possui sabores bem elaborados e parceiros renomados, como a Kopenhagen. Até a história da empresa foi romanceada para que se reforçasse a qualidade premium dos seus sorvetes. Além disso, ela também explora o food service, apresentando sete sabores de sorvete para esse segmento. 

 

No webinar da Cargill ingredientes, liderado por Cristina Leonhardt, mais conhecida como Sra. Inovadeira, foi debatido o futuro do mercado de sorvetes no Brasil. Observe a nuvem de palavras que se formou nessa discussão:

 

Fonte: Linkedin Cristina Leonhardt

 

Podemos verificar como o mercado de sorvetes é amplo e existem diversas oportunidades de segmentação para variados tipos de público: dos indulgentes aos funcionais, dos veganos aos adeptos do low carb, um mundo a ser explorado.

 

KIbon anunciou a chegada de Magnun VEGANO no Brasil. O produto já pode ser encontrado em alguns apps de comida e será distribuído em todo o país.

 

Para inovar, entretanto, é necessário olhar além do óbvio. A inovação, segundo Cristina, fica escondida nas pequenas palavras, para as quais ninguém ainda dá importância. 

Então, fica o questionamento: dentre elas, qual é sua aposta para o futuro? 

 

A minha é o WHOLE FOOD INNOVATION com força total nessa categoria.

A exemplo de Haagen- Dazs, com sua marca FIVE, na qual todos os sabores são produzidos com apenas cinco ingredientes:

 

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você