[ editar artigo]

O que é clean label e qual a importância dessa tendência?

O que é clean label e qual a importância dessa tendência?

 

Mais do que uma tendência no mercado de alimentos, deixar os “rótulos limpos” vem ao encontro dos desejos dos consumidores em achar na lista de ingredientes de um produto apenas nomes familiares, que eles possam ter na despensa de uma casa. Conservantes, coadjuvantes de tecnologia, emulsificantes, acidulantes e corantes, todos esses elementos, mesmo sendo seguros para o consumo humano e conferindo importantes características sensoriais, de sabor, de textura, além da possibilidade de um shelf life mais amplo e segurança microbiana, seduzem apenas os engenheiros de alimentos e não o consumidor final. Quanto mais claras e diretas forem as embalagens e rótulos dos produtos, mais fácil ficará definir o que ele deseja consumir.

Na sequência, entenda o conceito, e como a indústria vem evoluindo no tema

O que é clean label?

Na tradução para o português, “rótulos limpos”. Não se trata do design da embalagem, de ser mais clean e ter apenas o essencial, e sim da composição desse produto e de sua lista de ingredientes. 

Dessa forma, todo o mercado de alimentos e principalmente a indústria de ingredientes está empenhada nessa missão desafiadora de:

- Reduzir os itens da lista de ingredientes,

- Substituir aditivos artificiais por naturais, 

- Desenvolver novas fórmulas e extratos naturais que possam substituir itens sintéticos não impactando em sabor, performance e custo.

 

Praticamente um milagre! Ou seja, dificilmente o desafio consegue ser 100% cumprido, mas qualquer movimentação nesse sentido é vista com bons olhos pelos consumidores e principalmente influenciadores, como médicos e nutricionistas. 

 

Ainda não existe uma legislação específica para isso, ou um selo no mercado que identifique esse tipo de produto. Mas, geralmente, alimentos integrais ou orgânicos, por exemplo, fazem parte do conceito.

A Anvisa, entendendo a movimentação da indústria nesse sentido, está discutindo o assunto internamente e irá criar normas para novos ingredientes que surjam desses desenvolvimentos. Não é porque veio da natureza que um concentrado ou isolado de planta pode entrar, em qualquer proporção, em um alimento, pois mesmo presente na natureza, ele não era consumido da forma e na quantidade trabalhada pela indústria em suas formulações. 

Julia Coutinho, da VISANCO, consultoria de assuntos regulatórios para alimentos, falou sobre esse e outros assuntos quentes da ANVISA em nosso podcast.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, de 2014, deu mais um “empurrãozinho” para a indústria brasileira se reinventar e melhorar a composição de seus produtos. Isso explica porque o que é clean label tem sido cada vez mais importante para fábricas e também para quem busca uma alimentação saudável e equilibrada.

Segundo A pesquisa da Fiesp, a Mesa dos Brasileiros, 53% dos consumidores leem os rótulos e 64% dizem não entender.

Com a conscientização das pessoas sobre a relação da comida com a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida, esse movimento tende a continuar por muito tempo ainda.

Exemplos de produtos que já adotam essa tendência há mais tempo: 

  • Água de coco Obrigada

  • Só fruta (rolinho)

  • Ben&jerry's 5 ingredientes

  • Ketchup Heinz, que trouxe os ingredientes para a frente do rótulo

Segundo a MINTEL, Clean Label foi uma das principais tendências globais de alimentos entre os lançamentos de 2019.

Se existe alguma tendência em que você pode investir tempo, pesquisa e recursos, é essa! Bem-vindo à era clean label!

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você