[ editar artigo]

O que é FODMAP e como algumas marcas já exploram esse conceito em seus produtos

O que é FODMAP e como algumas marcas já exploram esse conceito em seus produtos

 

FODMAP, nome estranho, principalmente quando pronunciamos em português. Não nos soa bem! 

Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides And Polyols é a expressão que determina a sigla FODMAP. Mas o que será que representa isso tudo na prática?

Vamos te explicar o que significa esse termo de forma simples, apresentar os  alimentos com baixo e alto teor de FODMAPS e quais as possíveis vantagens de adotar o conceito em sua marca ou produtos. Isso porque já existem lá fora alimentos lançados com este claim, "sem fodmaps", e com a promessa de melhorar problemas como o desconforto Intestinal. 

O que é o FODMAP?

Em primeiro lugar, os oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis são os compostos naturalmente presentes em vários alimentos.

Pode-se dizer que o termo refere-se a uma família de ingredientes que são fermentáveis e que têm como base carboidratos.

Quando ouvir a expressão FODMAP, já saiba que ela consiste em uma dieta ou produto que restringe o consumo desses carboidratos fermentáveis, substâncias que não costumam ser bem absorvidas pelo organismo. Para algumas pessoas, inclusive, elas ainda provocam reações adversas, especialmente para quem tem, por exemplo, disfunções gastrointestinais, gastrites e Síndrome do Intestino Irritável (SII).

Esses carboidratos não digeridos corretamente no trato digestivo acabam provocando uma fermentação exacerbada no intestino desses indivíduos e causam sintomas como:

  •     Gases;

  •     Distensão abdominal;

  •     Diarreia;

  •     Desconforto;

  •     Cólicas;

  •    Queimação.

Quais são os alimentos com FODMAP?

Para que se entenda melhor o que são os alimentos com baixo e alto teor de FODMAP, abaixo estão relacionados alguns deles. Todos, de acordo com a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG). Confira:

Alto teor de FODMAPs:

  •  Frutas: manga, melancia, pera e maçã. Frutas enlatadas, xaropes e frutas secas também;

  •  Laticínios: leite de vaca, cabra ou ovelha. Sorvete, queijo fresco ou cremoso, como ricota e cream cheese, por exemplo;

  •  Da horta: brócolis, beterraba, cebola, ervilha, grão-de-bico, lentilha, feijão, alho, molho de tomate, ketchup e alho-poró;

  •  Cereais, grãos e massas: cereais com xarope de milho. Bolo, biscoitos, pães e massas com trigo e centeio.

Baixo teor de FODMAPs:

  •    Frutas: banana, uva, abacaxi, melão, laranja, morango, maracujá e limão;

  •   Laticínios: leite e iogurte sem lactose ou leites de soja, arroz e amêndoa. Manteiga e queijos curados, como brie e parmesão, por exemplo;

  •  Da horta: cenoura, milho, berinjela, couve, nabo, cebolinha, pepino, abobrinha, alface, espinafre, batata, tomate, batata-doce, castanha e amendoim;

  •  Cereais, grãos e massas: farinha de milho, mandioca, aveia e centeio. Pão, macarrão e biscoito sem glúten. Quinoa, arroz, tapioca e polenta.

Embora esses não sejam os únicos exemplos, são alguns dos mais consumidos na dieta. Por isso, você pode conferir a lista completa no site da própria FBG.

Produtos naturais e FODMAP

Produtos industrializados também podem  ser low FODMAP ou FODMAP Friendly.

Assim, quando o alimento é testado para a presença dos carboidratos fermentáveis, ele pode receber um desses dois selos. Dessa forma, o consumidor já identifica prontamente que aquele item é livre desses compostos ou os têm em baixo teor na sua formulação.

No Brasil, ainda não há esse tipo de certificação. No exterior, as instituições australianas   Monash Fodmap e FODMAP Friendly são conhecidas por oferecerem  esses programas de certificação. 

Marcas estrangeiras que já estampam esse claim em seus rótulos: 

  • Artigos da Fodmapped encontrados, geralmente, em lojas de produtos naturais e empórios, como as sopas e as massas, sem alho e cebola.

  • Assim como as conservas e marinadas da Fody Foods, incluindo os molhos, azeites e temperos e os snacks.

A lista de marcas e produtos brasileiros que já começaram a  adotar esse conceito parcialmente (apenas com indicação sem glúten ou sem lactose, além de orgânico) é longa, mas ainda não vemos esse CLAIM estampado em produtos nacionais.

Possíveis vantagens para sua marca:

-Apesar de o conceito ser novo no Brasil, se você já trabalha em um mercado de nicho “saudável”, pode se tornar um dos pioneiros, porém é necessário explicar melhor essa ideia em suas comunicações;

 

-Mostrar um diferencial e cuidado da sua marca com diferentes condições de saúde;

 

-Diversificação da receita, pois cada vez mais as pessoas buscam uma alimentação balanceada e natural. Por isso, devem se interessar pelo Foodmaps;

 

-Gera mais satisfação, pois a mudança no cardápio trará benefícios reais na vida do cliente;

-Cresce a fidelização, ticket médio e taxa de recompra por esse público.

Há produtos com este "Claim"? 

Um passo expressivo em relação a este claim foi dado em 2019, quando a Kellogg's começou a comunicar "baixo em FODMAPs" na publicidade de seus cereais.  

 

Os primeiros produtos desse tipo foram lançados na Austrália. E é de lá também o selo de certificação da Universidade Monash, lançado para ajudar pessoas que sofrem de Síndrome do Intestino Irritável. 

E no Brasil? 

Após um post de Gabriela Pugliese em 2018, as buscas específicas sobre a temática foram nas alturas. Mas, por enquanto, o que vemos ainda é um mercado de nicho, apenas recomendado por um grupo muito específico de nutricionistas funcionais ou de gastroenterologistas para melhora dos sintomas digestivos de seus pacientes. 

Segundo o Dr. Dan Weitzbert, um dos maiores gastroenterologistas do país,  FODMAP é um conceito importante e tende a crescer no Brasil, mas ele ainda lembra: “No entanto, há de se levar em conta que seguir uma dieta rígida em Fodmaps é muito difícil, então a aderência dos pacientes é pouca. Precisamos ainda encontrar maneiras mais adequadas de lidar com essa situação”.

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você