[ editar artigo]

O que mudou no comportamento de venda e consumo de alimentos segundo o GOOGLE

O que mudou no comportamento de venda e consumo de alimentos segundo o GOOGLE

Vicente Carrari, responsável pelo varejo alimentar e e-commerce do Google, deu início às discussões sobre RECOMEÇO na 10ª edição do BHB Food o objetivo era tratar de  novos modelos de negócio e comportamentos de consumo, que surgiram impulsionados pela pandemia do novo coronavírus. Vicente nos contou o que mudou no comportamento de venda e consumo de alimentos durante a pandemia.

Dados do mercado brasileiro resgatados da pesquisa Black Friday 2020 do Google, mostraram que , embora o comércio varejista tenha sofrido retração durante a pandemia, o segmento de produtos alimentícios foram um dos únicos que tiveram crescimento (11%), e se tornou o 5º maior segmento em crescimento de vendas durante a pandemia.

Se por um lado há retração, por outro houve um crescimento expressivo, demonstrando que o e-commerce brasileiro aumentou 60% das vendas durante a pandemia. Além disso, as compras online em datas comemorativas aumentaram em 70% quando comparado aos anos anteriores.

Embora os números de compras online tenham aumentado, Vicente alerta que “nem sempre o mercado online substitui a experiência física”. A pesquisa aponta que metade das pessoas não conseguem realizar todas as compras sem sair de casa, e ⅓ deixam de comprar por falta da experiência física.

 

 

Segundo Vicente,  “muitas compras se tornarão online quando a experiência digital for melhorada”, e, devido a essa afirmação, faz alguns apontamentos que merecem atenção. 

 

Um deles é o mercado online mobile, que com a pandemia cresceu em 52% nas vendas, mas aponta que o site mobile deve funcionar perfeitamente em qualquer browser de celular. A criação de um aplicativo, simples e que ocupe pouco espaço também pode ser uma opção de investimento para este mercado, pois 34% das compras online foram feitas por apps.

 

As Fases do consumo pós pandemia: 

Depois de informar sobre mercado brasileiro, Vicente discutiu qual foi o papel do consumo durante a pandemia, o qual pode ser dividido em três fases. No primeiro momento da pandemia, por questões de segurança, se evitou o consumo, que ficou mais contido. Mas, depois de um tempo, os consumidores retornam às compras, procurando em compras indulgentes a compensação para os tempos difíceis. E, por fim, temos o retorno gradativo ao normal, onde há um sentimento de alívio pelos consumidores.

E para os próximos meses a aposta ainda é de alta no mercado online. “Diversas categorias superaram as buscas na semana da Black Friday de 2019”, diz Vicente, com destaque para alguns produtos e marcas:

  • Bebidas não alcoólicas: Cápsulas de café, sucos e leite.

  • Bebidas alcoólicas: Saborizadas e álcool Zero. 

  • Alimentos: farinha de amêndoas, adoçantes como o xilitol, a marca flormel, além de receitas caseiras.

ESTRATÉGIAS PARA ATRAIR O CONSUMIDOR:

Em relação a estratégias para atrair o consumidor, Vicente destaca alguns itens que podem valer a pena. Frete grátis é um deles, visto que houve um aumento de 123% na busca por esse serviço, e até o frete expresso se destacou nesta temporada. Para os supermercados, a opção click e retire se mostrou promissora, visto que o serviço de transporte podem demorar para serem feitos. Além disso, considere diferenciar as formas de pagamento, pois houve uma expansão das carteiras digitais neste ano. 


 

E para criar uma conexão com esse consumidor digital, é necessário inovar na comunicação. O palestrante trouxe, então, alguns insights sobre a temática:

  1. Personal Shopper: usado em categorias de luxo, consiste em atendente online que acompanha o consumidor na sua compra.

  2. Conteúdo e entretenimento: especialistas e celebridades digitais que testam produtos ao vivo, entretendo a audiência e oferecendo links para compras.

  3. Dengo em casa: gôndola virtual com especialista, onde o consumidor pode comprar o produto como se estivesse na loja.

  4. Lives: são capazes de agregar a marca transparência, interatividade, profundidade e exclusividade com os clientes. 

 

 

Por fim, Vicente Carrari conclui sua participação no 10º BHB Food ressaltando os pontos que merecem atenção nesse novo comportamento de vendas e de consumo de alimentos:

  1. Hold: Tratar com cuidado o cliente. 

  2. Shock: impressionar com conteúdos e ofertas interessantes para o consumidor.

  3. Step-change: se atentar e aprimorar as estratégias de venda.

  4. Speed-up: se atentar em como acelerar e acompanhar as tendências dos consumidores.



 

Se você não assistiu, ainda dá tempo de ver o que rolou no 10° BHB na íntegra nesse link. Corre que só vai até 18 de novembro.

Food Trends

Ler conteúdo completo
Indicados para você