[ editar artigo]

INTERNACIONAL: estado mexicano proíbe venda de “junk food” a menores

INTERNACIONAL: estado mexicano proíbe venda de “junk food” a menores

O estado mexicano de Oaxaca aprovou uma lei que proíbe a venda de "junk food", de alto teor calórico e refrigerantes açucarados para menores. 

 

O congresso do estado mexicano de Oaxaca, aprovou a lei  ley antichatarra, ou lei anti-junk food,  com 31 parlamentares votando a favor, e 1 voto contra. O Estado, que se localiza ao sul do país, foi o primeiro estado do México a tomar essas medidas.

 

O México vem lutando contra a obesidade do país em crianças e adultos. A Reuters, agência de notícias, informou que o México é o maior consumidor de alimentos ultraprocessados da América Latina, e o quarto maior em escala global. Cerca de 75,2% da população com 20 anos ou mais está com sobrepeso ou obesidade, e há seis anos o índice era de 71,3%, demonstrando um aumento da taxa de obesidade no país.

 

A lei e a Pandemia

 

Magaly López Domínguez, política que apresentou a legislação, diz que a obesidade atingiu "proporções epidêmicas" no México, e que Oaxaca tem as maiores taxas de obesidade infantil entre os 32 estados do país. Além disso, o México se tornou o 3º país com mais mortes pelo coronavírus, e muitas pessoas estão culpando parcialmente o estado de saúde do país pelas 55 mil mortes. 

 

"Cerca de 28 em cada 100 meninas e meninos com idade entre cinco e onze anos sofrem de obesidade ou estão acima do peso, de acordo com os serviços de saúde de Oaxaca", afirma Domínguez. 

 

A política apresentou o projeto pela primeira vez há mais de um ano, mas afirma que a pandemia estimulou os colegas a proibir a venda de junk food e refrigerantes, com o intuito de melhorar a saúde do país. As lojas ainda poderão vender junk food e refrigerantes para adultos.

 

Fonte: Just Food

Notícias

Ler conteúdo completo
Indicados para você