[ editar artigo]

Nestlé lança programa para reciclar embalagens de chocolates e biscoitos

Nestlé lança programa para reciclar embalagens de chocolates e biscoitos

 

A Nestlé acaba de lançar um programa para reciclagem de embalagens de filme plástico metalizado, geralmente usadas em chocolates e biscoitos.

Desenvolvido em parceria com a TerraCycle, empresa focada em criar soluções para resíduos difíceis de reciclar, o programa inclui a capacitação de cooperativas de catadores para a reciclagem do material e a mobilização de consumidores para a destinação correta das embalagens.

A iniciativa aceitará tanto embalagens de biscoitos e chocolates quanto de salgadinhos, misturas para bolo, barrinhas de cereal e ovos de Páscoa, que também costumam usar o material.

Para participar, o consumidor deve armazenar as embalagens em uma caixa, que pode ser postada em agência dos Correios sem custo. Para isso, é preciso fazer um cadastro no site da iniciativa e imprimir a etiqueta para a postagem, que já está com o envio pago.

Embalagens viram baldes e vasos

A cada quilo de embalagens enviadas, o participante acumula 300 pontos, que equivalem a 3 reais. Esse valor é trocado por doações para instituições sociais ou escolas públicas escolhidas pelo consumidor.

As embalagens vazias são destinadas às cooperativas parceiras, e tornam-se matéria-prima para fabricação de itens como vasos de planta, baldes, lixeiras, pás, cones de trânsito e bancos, entre outros.

Outra iniciativa da companhia com foco na sustentabilidade é a retirada do plástico externo das caixas de bombom da Nestlé. Com isso, a empresa deixa de usar mais de 450 toneladas de plástico ao ano. Alguns dos bombons individuais que compõem a caixa também tiveram suas embalagens repensadas para facilitar a reciclagem.

As iniciativas integram um compromisso global assumido pela Nestlé, de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025. Segundo a empresa, atualmente, 95% das embalagens no Brasil já são desenhadas para ser recicladas ou reutilizadas, considerando materiais como papel e papelão, vidro, metais e plásticos.

 

 

Fonte: Exame.com

Notícias

Ler conteúdo completo
Indicados para você