[ editar artigo]

Agradecimentos aos FIT´s

Agradecimentos aos FIT´s

Quem aí já se deparou com alimentos que utilizam a palavra FIT expressamente em seus rótulos ou que de forma intrínseca trabalham o conceito de alimento saudável vinculado ao termo “FIT”?

Quem se propôs a ler este artigo e tem o hábito de fazer compras certamente se identificará com a afirmação acima.

Mas o que significa a palavra “FIT” no contexto da alimentação?

Não há regulamentação da Anvisa que preconize a utilização do termo “FIT” para definir alguma característica ou funcionalidade de um alimento.  Portanto, trata-se de um termo meramente comercial.

De forma prática, poderia o termo ser traduzido como um alimento que possui uma lista de ingredientes enxuta, livre de aditivos, conservantes, repleta de ingredientes integrais e conhecidos por sua funcionalidade?

Poderia ser para alimentos que introduzem na alimentação ingredientes bioativos e/ou que apresentem um equilíbrio maior na composição de macronutrientes?

Ou, também, aqueles relacionados ao processo de emagrecimento, tidos como super alimentos milagrosos que irão deixar a pessoa em forma em poucos dias?

Acredito que todas as características acima credenciariam qualquer alimento a ser enquadrado para o mercado FIT e de bem estar.

Há muita discussão sobre o tema e não é este o propósito principal do artigo. O propósito principal é destacar a mudança positiva que o “FIT” tem proporcionado ao mercado de alimentos e bebidas.

Alimentos fortificados, sem glúten, sem lactose, com controle de alergênicos, itens veganos, sem adição de açúcares, ricos em proteínas já são comuns e a cada dia ganham mais espaço nos hábitos alimentares e, se não bastasse todos os atributos acima, muitos são SABOROSOS e capazes de alterar o paladar e as preferências de seus consumidores.

Segundo pesquisa da Euromonitor Internacional de 2019, o Brasil subiu uma posição em relação ao ano anterior e ocupa a quarta colocação mundial no ranking de vendas de alimentos e bebidas saudáveis, um mercado que movimenta cerca de US$ 35 bilhões por ano

Fonte: http://revistasafra.com.br/cresce-o-numero-de-brasileiros-em-busca-de-uma-alimentacao-saudavel/

As gôndolas de empórios e supermercados estão repletas de novidades e a cada dia novas marcas se posicionam e surgem com o objetivo de conversar com os consumidores de alimentos saudáveis e daqueles que buscam pelo não convencional.  

As grandes marcas produtoras de alimentos estão buscando melhorar o seu portfólio de produtos, seja através de aquisições ou lançamentos, principalmente de itens enquadrados como suplementos alimentares. Categoria que antes da publicação da RDC 243, 26 de Julho de 2018, Anvisa, não tinha tamanha notoriedade no mercado de alimentos e bebidas e para muitos consumidores nem faziam parte deste mercado.

As aquisições globais realizadas por players como Nestlé, que adquiriu as marcas Nature´s Bounty, conhecida pelos nutracêuticos em cápsulas, e de Barras de proteína Pure Protein e da Unilever que adquiriu a Onnit to Growing, marca reconhecida por criar o produto best seller Alpha Brain e a marca Mãe Terra, confirmam a tendência de mudança do portfólio dos grandes players.

fontehttps://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/04/23/nestle-negocia-compra-da-empresa-de-nutricao-bountiful.ghtml

https://joshua-schall.medium.com/unilever-acquires-onnit-a1230dba013a

Fonte: https://www.unilever.com.br/news/press-releases/2017/unilever-adquire-a-marca-mae-terra.html

Neste sentido, convém fazer uma provocação como forma de destacar as mudanças que estão ocorrendo no perfil de consumo.

Quem não gosta de consumir aquele chocolate delicioso após o almoço ou no meio da tarde?

Já pensaram em substituir aquela barra de chocolate por uma barra de proteínas?

Aquele achocolatado utilizado na alimentação por formulações que não tenham como ingrediente principal o açúcar?

Poderemos evoluir muito neste assunto e será um prazer trazer a minha visão sobre este encantador mercado de alimentos e bebidas.

Opinião

BHB Food
Guilherme Costa Abid
Guilherme Costa Abid Seguir

Engenheiro de Alimentos, pós graduado em Gestão de Projetos, Logística e Segurança de Alimentos, atuante como Diretor de Operações em Indústria de Alimentos. Responsável pela idealização e desenvolvimento de projetos de P&D para grandes marcas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você