[ editar artigo]

Low Carb ou Carbo Load: O que vem pela frente?

Low Carb ou Carbo Load: O que vem pela frente?

O carboidrato está inserido na cultura alimentar de todos os povos, desde a mandioca, conhecida como mãe da terra brasileira, até o tradicional arroz com feijão. Em outros países, o carboidrato também marca presença, como nos EUA/Reino Unido com as batatas, o arroz na alimentação oriental e o milho na américa latina.

Sem esquecer claro das massas e pães base TRIGO. No Brasil o grão deve bater recorde de produção em 2021, previsão de alcançar 7,625 milhões de toneladas sendo que em 2020, o Brasil produziu 6,245 milhões de toneladas. Um aumento de mais de 20% (Projeção da consultoria Safras & Mercado)

Falando em questões nutricinais, os carboidratos constituem um grupo fundamental para o funcionamento do corpo humano porque são uma das principais fontes para obtenção de energia do organismo. Ao ser ingerido, ele se transforma em glicose, uma substância altamente energética cuja quebra no interior das células libera energia.

A glicose é a única fonte de energia do cérebro, por isso que é muito comum em dietas low-carb sentir que o cérebro está lento, trabalhando abaixo da capacidade real. O carboidrato também atua na produção de serotonina - o hormônio responsável pelo bem-estar.

Mas, quanto carboidrato o brasileiro está consumindo?

Dados da cesta ABIMAPI relatam um consumo médio per capita de 15,8kg/ano/brasileiro. O que daria 43,8g /dia (consumo moderado) destes alimentos. A eles deveríamos adicionar arroz tubérculos e vegetais.

FENOMENO DO PÃO ARTEZANAL

Durante a pandemia, as pessoas com mais tempo em casa começaram a se dedicar mais a cozinha e o pão apareceu como um dos “queridinhos” nessa nova dinâmica familia. Veja o crescimento do tema no GOOGLE o pão é o líder das buscas:

Então, por que o ‘’Low Carb’’ se mantém?

De acordo com a Organização Mundial, a projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos.

No mundo todo, inúmeras pessoas sentem-se insatisfeitas com seus corpos refletidos no espelho e lutam com problemas de imagem corporal, principalmente a procura de métodos como a ‘’low carb’’ para emagrecer.

A dieta low carb é um regime alimentar em que se reduz o consumo de carboidrato (açúcar), o nutriente que fornece energia ao organismo. Em uma alimentação convencional, os carboidratos correspondem de 50% a 55% dos nutrientes ingeridos.

Entretanto, o principal erro cometido neste plano alimentar é cortar todos os carboidratos da sua alimentação e adotá-lo por conta própria. Ao submeter o corpo a uma privação extrema do nutriente, existe o risco de haver uma diminuição no metabolismo basal, pois o organismo vai entender que precisa "economizar" suas reservas, inclusive a gordura. 

E é nessa onda que diferentes indústrias têm surfado para lançar produtos e soluções com baixos teores de carboidratos: de produtos tradicionais, aos mais inovadores. Veja alguns cases clicando aqui.

Mais um último e recente exemplo:

Garrafa de refrigerante

Descrição gerada automaticamente

A cerveja Michelob Ultra, que já é vendida no Brasil pela Ambev. Por ser uma bebida low carb, tem como foco o público interessado em adotar estilo de vida mais saudável. Segundo a fabricante, na comparação com as 10 marcas mais vendidas no Brasil, a Michelob Ultra apresenta 80% menos carboidratos – 1,95 grama e apenas 79 calorias e teor alcóolico de 3,5%.

 

 

 

Carbo Load:

 

O que vem sendo falado nos últimos tempos, é a troca de estrategias lowcarb para Carbo Load, ou seja, dietas e produtos que auxiliem a manter altas, ou em níveis ideais a reservas de carboidratos.

 

A ideia do carbo load é ressaltar a importância de consumir o nutriente em diferentes períodos do dia, principalmente na hora da prática de atividades físicas. E todos os seus benefícios:

 

*São nutrientes básicos para fornecimento de energia (glicogênio muscular, glicogênio hepático e glicose sanguínea);

* Poupar a utilização de proteínas como fonte de energia;

* Manter as reservas de glicogênio muscular e hepático;

* Manter os níveis de glicose;

* Prevenir e retardar a fadiga muscular (compromete a contração muscular) e a fadiga central (diminui os comandos voluntários);

* Atua na manutenção do sistema imunológico.

Entretanto, tudo isso não impede que o consumidor acredite que os carboidratos façam mal e devam ser evitados, é preciso estar sempre atento as tendências e desejos do consumidor equilibrando a uma alimentação saudável e consciente.

 

Nesse caso não existem ainda produtos especificos que se posicionam para Carbo Load. Ele está mais relacionado ao comportamento de consumo do que a um produto propriamente.

Carboidrados complexos, integrais, claro sçao mais indicados pelo baixo indice glicemico.

 

Mas esse tema pode ser abordado pelas marcas de produtos que são fontes de carboidratos, que tendem a ser “vilanizados” mostrando que existe uma forma inteligente e saudavel de consumo. 

Opinião

Ler conteúdo completo
Indicados para você