[ editar artigo]

Oportunidades no mercado de Suplementos Alimentares

Oportunidades no mercado de Suplementos Alimentares

O mercado de suplementos alimentares vai na contramão das dificuldades enfrentadas por inúmeros segmentos. E que por sinal foram fortemente abalados pela crise instaurada no país desde o início da pandemia.

Os números mostram um crescimento acelerado de um setor que, antes era visto como exclusivamente destinado aos “marombeiros” de plantão. Mas, hoje, se reposicionou e ganhou na promoção de produtos aliados à saúde uma grande força dentro deste mercado. Trabalhar com Suplementos Alimentares é uma oportunidade para diversos tipos de consumidores

 Com a pandemia e a necessidade crescente de consumo de produtos para fortalecer a imunidade, este mercado ficou ainda mais em evidência. 

Desde 2013, segundo pesquisa realizada pelo Google Trends, o mercado de suplementos alimentares é alvo de buscas, tendo atingido o seu ápice com a procura dos usuários pelo termo IMUNIDADE no primeiro semestre de 2020.  Nesse sentido, os números do Market place Mercado Livre, do primeiro trimestre da pandemia, endossam este cenário: os suplementos alimentares ficaram entre as 3 categorias de produtos mais vendidos na plataforma Latino Americana, perdendo apenas para a procura por máscaras e álcool em gel. 

Crescimento no consumo de suplementos alimentares

O crescimento de 48% no consumo de suplementos alimentares durante o período de quarentena em 2020, de acordo com a ABIAD (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para fins Especiais e Congêneres) dá a este mercado um lugar de destaque dentro da indústria alimentícia. Dentro deste total, temos 42% de demanda dos consumidores que almejam o fortalecimento da alimentação. E mais, 91% para o público ávido por produtos que garantam o aumento da imunidade.

Um mercado promissor que coloca o Brasil como terceiro lugar no ranking dentro do setor de suplementos alimentares, perdendo apenas para os Estados Unidos e a Austrália, de acordo com o jornal “Valor Econômico”. Como resultado, as estimativas da Brasnutri apontam para o alcance de um faturamento nacional de R$ 5 bilhões nos próximos anos.



 

Suplementos alimentares para diversos tipos de consumidores:

O consumo de suplementos alimentares, ainda não é algo cultural no Brasil. Vitaminas, para alguns consumidores mais velhos, é quase que remédio, que deveria ser consumido quanto se está doente. No país onde ¼ da população vive abaixo da linha da pobreza, o uso diário de suplementos só será acessível com políticas públicas para isso. Mas considerando o alto potencial mercado atual, poderíamos dividi-lo em 3 principais segmentos.

1 – Suplementos esportivos: 

Em primeiro lugar, os produtos posicionados para consumo de atletas, sejam eles profissionais ou não. Pessoas que praticam atividade física de forma mais intensa. Essa Indústria que por acontecimentos isolados, foi tida como suspeita, pois em suas misturas poderiam conter hormônios e outras substâncias proibidas que ajudariam a performance dos atletas. Hoje cresceu em confiança e democratizou seus produtos alcançando novos públicos. Ainda com sua maior força de vendas por meio dos bodyshops, lojas especializadas, hoje movimenta inclusive eventos exclusivos no segmento reunindo mais de 80 mil pessoas, como acontece com Arnold Conference.

Em outras palavras, produtos como Whey Protein de todos os tipos e sabores, Cafeína, BCAA, Albumina, Creatina, etc... Um mercado especializado, que deve contar com a orientação e prescrição de um profissional de saúde para seu consumo   

2 – Suplementos para Saúde, bem-estar e emagrecimento

Nessa divisão estão os produtos como complementos e suplementos nutricionais do tipo: Nutri Senior, Sustagen; Multivitaminicos em capsulas, como Centruim, Lavitam, vitaminas e minerais combinados ou isolados como Zinco, Vitamina C, Vitamina D entre outros. Produtos em pó como shakes, blends de proteínas, vitaminas, colágeno, fibras e outros... todos visando algum benefício relacionado a saúde ou estética de forma preventiva. 

 Pesquisa feita por uma das maiores empresas de pesquisa mundiais, a Grand View Research projetou que, entre 2018 e 2025, os produtos fortificados e funcionais estarão entre as tendências por atenderem a uma demanda crescente pelos benefícios da dieta saudável. Os suplementos esportivos também ganham destaque, segundo a Abenutri, crescimento de 15% ao ano em 2019 e com expectativa de expansão até 2025.

Soma-se a estes os produzidos pela indústria do bem-estar e o das chamadas necessidades especiais. Os números apontam a relevância do mercado que, em 2019, movimentou cerca de R$ 6,6 bilhões segundo pesquisa feita pelo Euromonitor. 

 

3 – Suplementação necessidades especiais:

Diversas condições de saúde e doenças podem acarretar deficiência ou excesso de nutrientes no corpo, para isso, a indústria de suplementos especiais existe e se divide em: parte via oral e enteral (alimentação por sonda). Porém, muitas vezes de alto custo e em alguns casos subsidiados pelo governo.

Desde fórmulas infantis especiais, como suplementos para pacientes oncológicos, em estado terminal, entre outros. 

Nesse mercado, geralmente atuam algumas indústrias farmacêuticas especializadas como About, Fresenius, Prodiet e outras indústrias lácteas como Nestlé e Danone em divisões especificas. 

Mas essa é apenas uma divisão informal. Na parte regulatória, os suplementos alimentares ganharam uma nova regulamentação em 2020. Homologada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), as novas regras, podem ser encontradas em: https://www.in.gov.br/web/dou/-/instrucao-normativa-in-n-76-de-5-de-novembro-de-2020-287508490

 

5 Dicas para Inovar em Suplementos Alimentares

Segundo Alberto José, presidente do grupo Supley, detentor das marcas de suplementos alimentares Max Titanium e Probiótica, o consumo de snacks representa hoje, uma tendência neste mercado. “É o tipo de produto que une a praticidade que o consumidor busca ao valor nutricional agregado”, diz o empreendedor. “Além disso, este tipo de produto vai ao encontro do que a ciência está estudando e, dentro de um mercado em que as pessoas estão cada dia mais preocupadas com a qualidade de vida, é natural que a suplementação entre nesta cultura de consumo”. 

 De acordo com o presidente do grupo Alberto José, a Max Titanium tem uma comunicação mais democrática com o público consumidor, já que é uma marca mais popular e menos de nicho do que a Probiótica. Neste sentido, o grupo direciona suas estratégias de marketing: os influenciadores da Max Titanium, por exemplo, abarcam um público maior enquanto que os da Probiótica são mais voltados para nichos de academia. 

Vamos as dicas:

1 – “Comidização” dos Suplementos: unir os produtos à culinária para torná-los mais atrativos e palatáveis ao consumidor. Assim surgem snacks, barras, iogurtes e até balas que atraem uma fatia considerável dos consumidores.

2 – Biohacking dos Suplementos: A ideia é trazer o conceito de personalização para esta indústria. A possibilidade de “hackear” o próprio corpo, por meio de exames, ainda pode ser difícil para aplicação na indústria nacional, mas testes e inquéritos alimentares  realizados por nutricionistas, podem ajudar a prover  quantidades adequadas de componentes nutricionais de forma individualizada, cliente a cliente.

3 – Parcerias com médicos e nutricionistas: estes profissionais precisam conhecer seus produtos e cuidados com o processo para poder recomendá-los. Eles tem a autoridade e conhecimento necessários para esclarecer as informações sobre os produtos e garantir a segurança ao consumidor final.

4 – Mercado plant-based: já consolidado como tendência mundial, já está na mira da indústria de suplementos que acompanha este movimento e estuda formas de produzir cada vez mais produtos que sigam nesta direção, entregando benefício nutricional e sabor de uma forma mais sustentável

5 – Invista em alimentos proteicos: além do tradicional whey protein, novos produtos surgem com a proposta de entregar uma maior quantidade de proteína ao consumidor. As proteínas são as queridinhas das dietas de quem busca suplementos, seja por fonte animal ou  vegetal, tem público para ambas as fontes, por enquanto. 

 

Alguns cuidados importantes! Sinal de alerta:

Qualidade dos Produtos: Com a ascensão de um consumidor mais consciente, as marcas da indústria de alimentos tiveram que garantir a qualidade dos produtos comercializados, sobretudo porque é um mercado que já foi muito prostituído, o que não é mais aceito pelo novo consumidor. Crie estratégias para que todos os cuidados que você tem no seu processo possam ser comunicados de alguma forma.

Transparência: De acordo com pesquisa realizada pela Mintel, com 1500 pessoas, 25% dos brasileiros estão dispostos a aumentar o consumo de suplementos alimentares desde que estes invistam em transparência, ou seja, deixem claro a origem dos produtos vendidos e suas composições. Nesta vertente, ainda segundo a pesquisa, saem na frente as marcas que prezam por ingredientes naturais.

Fim do Sensacionalismo dos Alimentos Milagrosos: Quem não se lembra da febre da tão falada MACA PERUANA? Está aí um verdadeiro exemplo de sensacionalismo na tentativa desenfreada de comercializar produtos com promessas milagrosas. A ANVISA proibiu a venda do produto divulgado em um site especifico garantindo o fim da ejaculação precoce, da disfunção erétil, além do aumento peniano.

Busca por informação crível e cientifica: A recomendação é sempre buscar a informação sobre um produto inovador com um especialista no assunto, o qual poderá munir o cliente com informações com embasamento científico e a segurança que o consumidor procura e merece. Tanto com o produto em si como com a sua comunicação junto ao público. 

A Equilibrium Latam, com o propósito de construir marcas mais saudáveis, pode ajuda-lo nesta missão. Contato: contato@equilibrium latam.com.

 

Bora suplementar os negócios e CRESCER!

Quando comparamos o mercado de suplementos alimentares do Brasil ao da América Latina, vemos que este ainda tem muito espaço para crescer. Contudo, o mercado brasileiro corresponde a 30% do mercado americano de suplementos dietéticos. Com a preocupação crescente do consumidor com a questão da saudabilidade, a previsão é que este segmento não pare de crescer. Pesquisa feita pela Grand View Reaserch apontou que o Brasil é o único mercado de suplementos alimentares listado na América Latina que apresenta maior chance de se consolidar nos próximos anos. 

Portanto, há uma grande oportunidade de investimento das marcas que englobam este setor para se destacarem no mercado global. Ainda há grandes desafios tais como os entraves das taxas tributárias sobre estes produtos, o que acaba tornando-os acessíveis apenas a uma pequena parcela da população.

Por outro lado, este mercado aponta uma grande oportunidade para as marcas dispostas. Ou seja, investir em pesquisa e desenvolvimento para tornar estes produtos mais palatáveis e atrativos do ponto de vista nutricional. 

 

Opinião

BHB Food
Samantha Macedo
Samantha Macedo Seguir

Sócia diretora da Equilibrium, empresa com atuação no Brasil e LATAM, que desde 2001 ajuda indústrias de alimentos, bebidas, suplementos e bem-estar a construírem relações saudáveis com consumidores, influenciadores e colaboradores.

Ler conteúdo completo
Indicados para você