[ editar artigo]

O que esperar do mercado de suplementos nos próximos anos?

O que esperar do mercado de suplementos nos próximos anos?

Diante de um novo consumidor e de um cenário cada vez mais desafiador, o que esperar do mercado de suplementos nos próximos anos? Quais os objetivos mais relevantes? Qual será o melhor ponto de venda para esses produtos? E o que pensam os nutricionistas sobre esse mercado? Fiz uma imersão nesse universo e divido aqui as minhas impressões com vocês.

Conheça alguns dados do mercado de suplementos

O mercado mundial de suplementos continua aquecido e foi avaliado em mais de US$ 109 bilhões em 2019, segundo a Euromonitor. A expectativa é de que continue crescendo a um CAGR de 5% nos próximos 5 anos, atingindo US$ 142,7 bilhões em 2020! E o que será que está por trás desses números? Provavelmente o comportamento dos consumidores contribui, e muito!

Sabemos que cada vez mais as pessoas buscam se cuidar de dentro para fora, têm um olhar mais holístico para a saúde, e a alimentação balanceada é desejo de muitos. Prova disso é o valor da economia global de bem-estar que, em 2017, era de US$ 4,2 trilhões. Igualmente, no Brasil, essa realidade se mantém relevante, já que dos 5.500 novos suplementos que foram lançados no mundo em 2019, 21% estão concentrados na América Latina, região com maior número de novos produtos, segundo a Mintel.

Quais os benefícios mais obtidos neste mercado de alimentos no Brasil?

Na corrida pelos suplementos mais inovadores, vemos as grandes indústrias farmacêuticas com a maior representatividade em valor de mercado, porém tal dinâmica se dá de maneira bastante pulverizada. Elas possuem uma grande oferta de suplementos para os mais diversos objetivos, incluindo aqueles cujo mercado é mais expressivo, nesta ordem (Mintel, 2020):

  1. Saúde geral, representada em sua maioria por polivitamínicos
  2. Saúde digestiva
  3. Sistema imunológico, atualmente ainda mais impulsionado pela pandemia da Covid-19
  4. Saúde do coração
  5. Articulações e Beleza, no mesmo patamar

Além dessas aplicações mais tradicionais, vemos outras despontando como promissoras e crescendo a uma velocidade que vale a pena ficar de olho, como saúde da mulher e memória.

Empresas do mercado de suplementos esportivo estreiam em outros territórios

Empresas do mercado de suplementos voltadas apenas para o fitness e  esportivo iniciam sua participação, pouco a pouco, no nicho de suplementos para outras questões de saúde e bem-estar. Se o portfólio dessas marcas antes era composto de whey protein, BCAA e creatina, hoje ele divide seu espaço com vitaminas e minerais para melhora do sono, imunidade, cabelos e unhas, entre outros. Além disso, estas empresas investem em uma comunicação mais próxima e embalagens bastante atraentes.

Apesar disso, não podemos deixar de lado os aspectos regulatórios do nosso país, que representam um desafio para quem deseja se destacar nesse mercado de suplementos. Porém, com um pitada de criatividade é possível obter lançamentos bem sucedidos dentro deste mercado.

E o que pensam os nutricionistas sobre suplementos?

De modo geral, essas marcas trabalham uma comunicação bastante ativa com profissionais de saúde, mais especificamente com os nutricionistas. Apesar da importância do  relacionamento constante com esses profissionais, a empresa precisa entregar um produto de qualidade. Essa qualidade deve atendendo às principais tendências do setor, como a naturalidade, além de ter formulações com um bom embasamento científico.  Isso tudo faz com que algumas marcas se tornem as queridinhas dos nutricionistas.

Na prática, vemos as tendências sendo levadas a sério. Conversei com alguns profissionais e o principal atributo considerado em uma marca de suplementos é a lista de ingredientes. Ou seja, a naturalidade é um item básico não só em alimentos, mas também desejado para os suplementos. E

Na pesquisa, os profissionais alegam que se a lista de ingredientes não for bacana, nem adianta olhar o resto. Além disso. Como resultado, os pacientes costumam ser fiéis ao que o profissional indica: um produto desenvolvido para as necessidades de cada um, com a formulação ideal para o perfil, preferências e hábitos do paciente.

Canais de venda de suplementos

Entre os canais de compra para os suplementos que os nutricionistas mais prescrevem, os mais citados são (nessa ordem): e-commerce, lojas especializadas e as farmácias de manipulação. Essas últimas podem ser um reflexo do desejo por algo cada vez mais personalizado.

O e-commerce ganha muito destaque, algumas empresas como a Mais Mu tem como seu maior canal de vendas o site próprio. E dados do Mercado Livre mostraram que, nesse site, nos primeiros três meses da pandemia, suplementos foram um dos itens mais vendidos, perdendo apenas para Álcool em Gel e Luvas.

Um canal de venda ainda menos citado que os acima, mas que parece promissor, são os supermercados. Alguns especialistas dizem que isso deve ocorrer porque os suplementos vão estar cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas, sendo mais associados à saúde do que à doença, além de serem muito mais práticos para o consumidor.

Se você observar, alguns supermercados já possuem um mix de produtos com esse foco, geralmente em lojas e com marcas mais premium, em seções voltadas para produtos saudáveis. É uma oportunidade para se pensar!

O mercado de suplementos está ficando ainda mais interessante, novidades surgem a uma velocidade mais rápida e quem ganha com tudo isso são os consumidores. 

Embora pareça difícil fechar a equação, é possível chegar em um suplemento ideal, que entregue tendência e ciência, esteja de acordo com a legislação, tenha uma comunicação atraente e que agrade aos nutricionistas e aos consumidores.

Com um equipe colaborativa para tomada de decisão com foco  naqueles que de fato irão consumir estes suplementos, os resultados podem ser surpreendentes!

 

Opinião

Ler conteúdo completo
Indicados para você