[ editar artigo]

Nestlé desenvolve garrafas de plástico reciclado pós-consumo para seus iogurtes

Nestlé desenvolve garrafas de plástico reciclado pós-consumo para seus iogurtes

 Em dezembro de 2020, a Nestlé anunciou a retirada de 100% dos canudos plásticos de seu portfólio de bebidas, substituídos por alternativas de papel. A iniciativa é uma continuação da jornada iniciada em 2019, com o anúncio da retirada de parte dos canudos plásticos de Nescau Prontinho.

Agora a Iogurteria Nestlé realizou também a substituição dos canudos de plástico por canudos de papel na sua linha de leite fermentado Chamyto Box. São 53 milhões de canudos de plástico substituídos por papel ao ano.

Entretanto, a marca traz mais uma novidade para os consumidores, até setembro, todos os pontos de vendas no País já terão as novas garrafas de iogurtes Nestlé feitas de plástico reciclado pós-consumo (conhecido como PET-PCR), um material seguro e tecnicamente aprovado pela Anvisa para o uso em alimentos.

A Nestlé deixa de utilizar mais de 300 milhões de canudos plásticos por ano a partir de 2021, totalizando cerca de 128 toneladas de plástico a menos.

Os consumidores começarão a encontrar nas gôndolas a linha de iogurtes Nestlé em garrafas de plástico reciclado de diferentes tamanhos das marcas Nesfit, Molico, Ninho, Neston e Nestlé. A iniciativa pioneira na categoria de iogurtes é trazida pela Iogurteria Nestlé por meio da DPA Brasil, joint-venture formada pela Nestlé e a cooperativa neozelandesa Fonterra.

Uma ampla pesquisa foi realizada com o consumidor para entender a importância da transição das garrafas para material de origem já reciclada, bem como a aceitação da apresentação final da embalagem. As garrafas são similares às produzidas com a resina de plástico PET virgem e o consumidor só consegue notar a diferença em função de uma leve alteração de cor e pelo rótulo, que indica o uso de plástico reciclado pós-consumo.

Somado a isso, todas as novas embalagens terão a comunicação do Projeto Re, criado pela Nestlé em 2019, que tem como premissa REduzir, REcriar e REpensar os aspectos-chave das operações, além de educar e abrir o diálogo com os consumidores e apoiar o desenvolvimento da cadeia de reciclagem e economia circular. Com isso, deixarão de ser produzidos o equivalente a 87 milhões de garrafas feitas de plástico virgem por ano.

“Seremos a primeira empresa de iogurtes a ter todas as garrafas da categoria produzidas com plástico reciclado pós-consumo, mantendo todas as características de produto e qualidade que nossos consumidores conhecem e confiam. Esse é nosso compromisso com a jornada por embalagens cada vez mais sustentáveis no nosso portfólio de iogurtes”, diz Gabriela Guerreiro, diretora de Marketing da DPA Brasil, Divisão de Iogurtes Nestlé.

Hoje, cerca de 95% das embalagens da companhia no Brasil são desenhadas para serem recicladas ou reutilizadas e o compromisso global é ter 100% até 2025. A produção de embalagens de PET reciclado para os iogurtes consome menos 79% energia na comparação com a PET virgem, o que também contribui com a redução de emissões de poluentes na ordem de 71%.

“Esse é um exemplo de como podemos ter uma embalagem sustentável e um forte incentivo à economia circular, estimulando que as cooperativas evoluam junto com a empresa na retirada do meio ambiente de garrafas PET que são transformadas e reaproveitadas pela nossa produção. Além disso, a inclusão do selo RE faz as pessoas repensarem suas atitudes e se somarem ao movimento de reciclagem para que possamos inspirar mais iniciativas como essa”, observa a Head de CSV (Criação de Valor Compartilhado) da Nestlé Brasil, Barbara Sapunar.

Fonte: Newtrade.

Notícias

Ler conteúdo completo
Indicados para você