[ editar artigo]

Hypera Pharma pretende liderar a indústria farmacêutica

Hypera Pharma pretende liderar a indústria farmacêutica

Com R$ 6,2 bilhões de faturamento em 2020, a Hypera Pharma saltou duas posições no ranking da indústria farmacêutica brasileira ao ultrapassar Eurofarma e Sanofi. Agora, o alvo é a EMS. Para chegar à liderança em três anos, a companhia aposta no investimento de R$ 350 milhões em medicamentos inovadores e inicia uma nova fase do programa de conexão com startups.

Ao todo, 250 produtos compõem o pipeline de novos projetos da companhia. “São medicamentos com potencial para movimentar R$ 2,7 bilhões nos próximos cinco anos”, comenta Adalmario Couto, CFO e head de inovação. O foco desses lançamentos é o varejo farmacêutico e os cerca de 65 mil pontos de venda atendidos pela Hypera Pharma.

Os medicamentos de prescrição estão entre as principais plataformas de expansão, com projeção para aumentar em R$ 500 milhões a receita anual. Um dos carros-chefes será a extensão da linha Alektos, anti-histamínico oral para crianças a partir de seis anos e que integra o portfólio recém-adquirido da Takeda.

A empresa ainda promete novidades no segmento de OTC, que hoje representa a maior fatia dos negócios – 34%. “Entre as futuras linhas está a Blumel, considerada a primeira marca voltada essencialmente ao tratamento de gripes e resfriados infantis; e o probiótico GeFlora para o cuidado com a flora intestinal”, antecipa o executivo.

Dois segmentos com maior evolução percentual em 2020 também estão no radar de inovação da Hypera Pharma. Só na categoria de genéricos, a farmacêutica prevê 17 lançamentos, com destaque para o Zolpidem sublingual, para o combate à insônia. “Temos condições de dobrar o faturamento dessa área, que hoje responde por 19% do volume de negócios”, informa. A divisão de vitamínicos, que faz parte do portfólio da Neo Química, ganhará uma versão da vitamina C efervescente + zinco e do Addera D3.

Para alicerçar esses investimentos, a empresa está trazendo equipamentos para a expansão das unidades de vitaminas e sólidos e construindo uma nova fábrica de medicamentos estéreis. O centro de inovação baseado em Alphaville, na Grande São Paulo, também deve receber novos aportes. Parte desses recursos será viabilizada com a venda do CD de Goiânia, que estava locado a terceiros. A negociação, pelo valor de R$ 231 milhões, foi comunicada aos acionistas no dia 8 de abril.

Conexão com startups

Ao lançar o HyperaHub, no fim de 2019, a Hypera Pharma projetava atrair startups para sanar as dores de cabeça da indústria e aprimorar seu relacionamento com toda a cadeia farmacêutica. Mas a pandemia tornou a iniciativa ainda mais relevante. Não à toa, mais de 203 jovens empresas oficializaram interesse em aderir ao programa de incentivo e aceleração. E agora, a farmacêutica abriu uma segunda rodada.

Desse total, nove já estão inseridas no ecossistema da companhia, entre elas a Beegol, solução de análise de dados sobre mix de produtos voltada ao pequeno varejo. “Em um ano, aumentamos em 50% o grupo de farmácias independentes na nossa base”, ressalta Vivian Angiolucci, diretora de inovação responsável pelo HyperaHub.

 

Fonte: Panorama farmaceutico

Suplementos

Ler conteúdo completo
Indicados para você