[ editar artigo]

NotCo se torna 1º unicórnio da América Latina de alimentos à base de plantas

NotCo se torna 1º unicórnio da América Latina de alimentos à base de plantas

Após uma rodada de US$ 235 milhões investidos, a startup The Not Company, se tornou o primeiro unicórnio latino-americano de comidas feitas à base de planta. Para quem ainda não sabe, os unicórnios são startups com avaliação de mercado de ao menos US$ 1 bilhão. No caso da startup chilena, a avaliação ficou entre US$ 1,4 bilhão e US$ 1,5 bilhão.

Também conhecida como NotCo, a startup chilena busca a aceleração nas vendas de seus produtos, NotMayo (maionese de planta), NotMilk (leite de planta), NotIceCream (sorvete de planta) e NotBurger (hambúrguer de planta). Boa parte da rodada irá para uma expansão global e que inclui terras brasileiras.

Saiba mais sobre a NotCo

A NotCo é uma foodtech, ou startup que atua no segmento de alimentação. A ideia surgiu do economista Matías Muchnick, do cientista da computação Karim Pichara e do especialista em biotecnologia Pablo Zamora. O negócio busca reinventar a indústria alimentícia ao produzir comidas que imitam cor, sabor e textura de produtos com origem animal usando apenas plantas. A foodtech decidiu atuar ao mesmo tempo na substituição de três grandes proteínas: carne, leite e ovos.

O objetivo é eliminar o animal como intermediário, fazendo as pessoas consumirem diversas espécies de planta que trazem os mesmos macronutrientes. Segundo a NotCo, seus produtos chegam a emitir 70% menos gás carbônico e a consumir 90% menos água.

“Mais de 70% dos grãos produzidos no mundo vão para a criação de animais. As terras e água vão para o milho, que vai para o animal e só então nós comemos o animal. 100kg de ração viram 20kg de carne. É uma equação ineficiente”, afirma Tourinho.

A NotCo criou o Giuseppe, uma inteligência artificial que mapeia constantemente espécies de planta comestíveis e as destrincha em nível molecular. Assim, escreve receitas que podem substituir carne, leite e ovos. A empresa tem cinco patentes dessa tecnologia proprietária, todas registradas nos Estados Unidos.

Essas receitas passam por chefes humanos, que tornam o algoritmo cada vez mais eficiente ao darem feedbacks. Por exemplo, os chefes podem dizer que adicionar beterraba fez a maionese de plantas ficar roxa, e que isso não pode acontecer. O leite a base de plantas da startup chilena leva ingredientes como abacaxi, chicória, ervilha e óleo de coco, por exemplo.

“A ideia é oferecer alimentos com cor, sabor e textura iguais ou melhores do que as pessoas sempre comeram. Com uma alimentação plant based que elas nem percebem, mudar de hábito se torna mais fácil”, diz Tourinho.

O que diz o CEO da NotCo?

“Nossa patente exclusiva em inteligência artificial nos dá uma vantagem competitiva significativa devido à velocidade e precisão com que somos capazes de desenvolver e trazer novos produtos para o mercado”, disse em comunicado sobre o investimento Matías Muchnick, fundador e CEO da NotCo.

“NotCo criou produtos alimentícios à base de vegetais de nível mundial que estão rapidamente ganhando participação no mercado”, afirmou em comunicado sobre o investimento Scott Shleifer, sócio da Tiger Global. “Estamos animados com a parceria com Matías e sua equipe. Esperamos que a inovação contínua de produtos e a expansão para novas geografias e categorias de alimentos gerem um crescimento elevado e sustentável nos próximos anos”.

 Concorrentes no segmento Plant-Based

A NotCo não abre números absolutos de faturamento, mas espera dobrar seus ganhos nacionais no segundo semestre, ante o acumulado no primeiro semestre de 2021. Mas a competição é acirrada no mercado plant based brasileiro. A americana Beyond Meat, avaliada em cerca de US$ 8 bilhões na Bolsa de Valores Nasdaq, já vende seus produtos no Brasil. A NotCo enfrenta também empresas nacionais, como a Fazenda Futuro – que é avaliada em R$ 715 milhões e vende seus produtos em 24 países.

Fonte: Infomoney. 

Notícias

Ler conteúdo completo
Indicados para você